Promoção!

Trump – Desafiar o Status Quo

Avaliado 5.00 em 5 baseado em 7 avaliações de clientes
(7 opiniões de clientes)

15.00 14.00

“Trump, Desafiar o Status Quo” irá explicar o fenómeno de Trump enquanto candidato à presidência dos EUA, explorando os seus discursos, debates e as suas propostas.

Uma síntese detalhada e directa dos temas fundamentais da campanha de Donald Trump rumo às eleições primárias e à Casa Branca. que permitirá uma visão estruturada a todos os interessados pela realidade política, social e económica dos EUA.

Poderão as políticas de imigração de Trump prejudicar a economia dos EUA?
Poderá uma muralha na fronteira com o México trazer benefícios?
Será que são os eleitores americanos que decidem realmente quem é o seu candidato?
Será que mais restrições ao uso e porte de armas-de-fogo aumentam a segurança?
Quais serão os efeitos do intervencionismo americano no Médio Oriente?
Estará Donald Trump a enfrentar o Status Quo ocidental?

Esta obra irá desafiar as ideias pré-concebidas sobre a sociedade americana e tecerá paralelismos relevantes com as sociedades europeias, tanto em termos práticos como morais. Uma análise factual e lógica que cobre os temas mais relevantes da política americana e ocidental.

Carlos M. G. Martins trabalhou na banca de investimento em Londres e em fundos de investimento em Portugal. É um dos membros fundadores e o editor da empresa Gladius Editions.

7 avaliações de Trump – Desafiar o Status Quo

  1. Avaliação 5 de 5

    João Ferreira

    Depois do grande fracasso dos media em informar o público, este livro ajuda a explicar o sentido nas propostas de Trump, em larga escala deturpadas e reduzidas a chavões descontextualizados na televisão. A escrita é cuidada sem se tornar pesada e todos os factos estão devidamente referenciados na bibliografia.
    Aconselharia o livro principalmente aos apoiantes de Clinton, para que percebam que os próximos quatro anos não serão o pesadelo que lhes venderam (se as promessas de campanha forem cumpridas), que os adjectivos com que tentaram rotular o “president-elect” não são em boa parte merecidos e porque falhou a campanha democrata.

  2. Avaliação 5 de 5

    Rui Vilar

    Uma excelente obra que aconselho a todos aqueles que se limitaram a acompanhar a campanha de Trump apenas pela imprensa declaradamente parcial, não obtendo assim um contraditório no mínimo justo. Um livro que nos mostra também que a seguir a Trump a política ocidental vai mudar, acabando lentamente com o discurso ocidental reinante do politicamente correcto. Por maior contra-senso que isto pareça, no ocidente em 2016 quem ousa pensar diferente do que as brigadas do status quo, é imediatamente marginalizado por todos os meios, pelas elites e as suas formas de controlo de poder. Restringe-se assim um elemento fundamental que é a nossa Liberdade. Porque a política, a nossa história e a nossa civilização têm muito mais cores do que apenas o preto e branco que muitos nos querem obrigar a ver.

  3. Avaliação 5 de 5

    Cid Geraldo

    Um livro honesto, muito bem apoiado em fontes facilmente acessíveis pela internet (portanto, fidedigno), bem redigido e sucinto. Uma prosa direta , focada nos aspetos essenciais e que cobre todos os assuntos da máxima importância: imigração, economia, política externa, controlo de fronteiras, a assustadora hipocrisia dos media e o insuportável discurso e moralizante do politicamente correto – uma ameaça à liberdade de todos. Um livro corajoso e urgente.

  4. Avaliação 5 de 5

    Nuno Martins

    Livro bastante bem concebido e que desmistifica muitas ideias criadas pelos mass media atacando a pessoa Trump e não discutindo as ideias por detrás da sua campanha. O autor do livro consegue com factos (e muitos números) fazer a explicação de muitas ideias trazidas a publico nesta campanha. Excelente obra para quem quiser perceber melhor a realidade politica Americana (e muito idêntica à Europeia).
    Fiquei agradavelmente surpreendido por ver temas tão controversos serem debatidos e desmistificado com números reais e não falácias.

  5. Avaliação 5 de 5

    Tiago Passos da Silva

    O que tenho a dizer sobre este livro?

    Acima de tudo, representa uma grande pedrada no ambiente totalitarista de esquerda que está a dominar as nossas editoras, universidades, cultura, classe política, imprensa e a nossa sociedade em geral.

    O autor do livro, não fez somente uma análise rigorosa e sintética sobre os principais aspetos quem envolvem o irreverente e extraordinário candidato Republicano e suas propostas. Mas sobretudo, fez o papel da nossa imprensa, que infelizmente recusa dar a informação aos seus cidadãos, daquilo que Trump tem verdadeiramente a oferecer aos EUA e consequentemente ao Mundo.

    Em suma, este livro serve de guia para o mínimo que você precisa de saber para não dizer imbecilidades sobre Trump.

  6. Avaliação 5 de 5

    António Martins Torres

    Uma agradável surpresa, é o mínimo que posso dizer deste livro. Suportado em factos, dá uma explicação madura e objectiva sobre o estado “democrático” dos Estados Unidos da America, onde a intromissão do outsiders na política não é bem vista. Sim, as posições de Trump e a sua atitude algo espalhafatosa pode originar receio no eleitorado, mas desengane-se quem pense que a aversão que este candidato passa para a classe política se resume a isso. Muito pelo contrário, um multimilionário capaz de se financiar por si, sem se comprometer com nenhum interesse de terceiros (não contando com os eventuais interesses do próprio) é, na verdade, um candidato genuíno, que não tem problemas em cumprir com o que se comprometeu com o eleitorado, desvinculando-se do emaranhado de interesses que têm dirigido as actuais nações. Felizmente este livro não caiu no erro de ser exageradamente idiológico, preferindo, antes, o rigor e a análise de estatisticas, muitas vezes mal interpretadas. Apesar de não concordar com algumas das posições prefilhadas neste volume, tenho de reconhecer o mérito ao autor que soube explicitar e defender todos os seus argumentos de forma simples e clara.

    Votos de muito sucesso para o autor e para a editora.

  7. Avaliação 5 de 5

    PG

    Enjorcada por forças iníquas, fanatizadas, ao serviço de uma tenebrosa mediocridade cuja cúpula se sustenta no valor do dinheiro, a degradação social lavra implacável sem grande oposição patente. Emerge, da decadência e da apatia do cenário político mundial, uma figura carismática detentora de incontestável prestígio no meio empresarial, porém, da sua vivência e reflexão brotaram conclusões inesperadas que sacudiram o lamaçal político actual. Esse homem extraordinário, politicamente incorrecto, patriota inabalável, chama-se Donald Trump. “Trump, Desafiar o Status Quo” é um livro que desmistifica o “monstro” cunhado pelo ódio inimigo. A comunicação social, na Europa e nos EUA, esquecendo o resto do globo, abraçando já o campo do irracionalismo, atira-se ao candidato estaduniense como um poderoso predador sobre uma presa indefesa. Muitos jornalistas e não poucos opinion makers parecem cães raivosos atrás do osso. Qualquer cidadão, por menos esclarecido que esteja em política internacional, verifica com facilidade que esse candidato aparece sempre com uma imagem desavergonhadamente desfavorecida. Concluímos que o poder instalado está com medo, encontra-se receoso por os seus planos funestos poderem vir a fracassar. Temas tabu surgiram corajosamente pela irreverência, pelo inconformismo, pelo ansejo de mudança de Trump, entre eles citamos: o racismo, o feminismo; o imigracionismo, o patriotismo ou nacionalismo, o cristianismo, o marxismo cultural.
    As próximas eleições estadunidenses revestem-se de importância vital: Joga-se o futuro da Civilização Ocidental de tradição greco-romana e católica. O resultado nos EUA influenciará decisivamente a sorte da Europa. Não haja ilusões, a Igreja Católica já não conta para a defesa dos valores eternos, da racionalidade, nem sequer do bem, da verdade e da vida que era a sua essência. O fim da nossa civilização implicará forçosamente o nosso fim, o fim da nossa descendência, da nossa raça, e dos motivos pelos quais os nossos antepassados se cobriram de sangue, suor e lágrimas. A sociedade precipita-se para o caos, a desordem generalizada, as dívidas crescentes impagáveis, o desemprego galopante, a inviabilidade demográfica, a invasão de povos estranhos aos costumes europeus, a alienação das massas formatadas, as instituições ocas, nada funciona bem. Em Novembro saberemos se restam algumas esperanças para que se possa construir um futuro para os nossos filhos (quem os conseguir ter) ou se passaremos a maior humilhação como povo de toda a História com o triunfo insuportável da tríade demoníaca: nem Deus, nem Pátria, nem Família.

Adicionar uma avaliação

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *